(51) 3715-5581

Status:

Notícias

Ultrapassagens mal feitas são responsáveis pelos acidentes mais graves que acontecem nas rodovias do Brasil. A maioria dos trechos rodoviários brasileiros é composto de vias não duplicadas, e nesses casos, a ultrapassagem é uma manobra realizada com frequência durante as viagens.

Procedimentos corretos

Para efetuar uma ultrapassagem segura é preciso observar se no local a manobra é permitida (através da sinalização) e se ela é necessária.

 

Se for realizar a ultrapassagem, sinalize antecipadamente, para que os veículos ao seu redor entendam a sua intenção. Verifique o trânsito atrás e em sentido contrário, no caso de usar a via de sentido inverso para efetuar a ultrapassagem. É necessário conferir pelos retrovisores a situação do tráfego atrás do próprio veículo, não esquecendo os pontos cegos. Se tiver alguém iniciando uma manobra para ultrapassar, o condutor deve facilitar e aguardar outro momento. Se todas as condições forem favoráveis, incluindo potência suficiente do veículo para realizar a manobra, o motorista então deve sinalizar e ultrapassar.

 

O retorno à faixa também é importante, para isso, deve-se conferir pelo retrovisor da direita, sinalizar e entrar, procurando não obstruir a via.

 

“Jamais deve-se ultrapassar em curvas, túneis, viadutos, aclives, lombadas, cruzamentos e outros pontos que não ofereçam segurança. A atenção e o cuidado são fundamentais nessa hora, o condutor deve ter certeza que a ultrapassagem não representa risco para ninguém”, conclui Mariano.

 

Multas por ultrapassagens irregulares

 

Desde novembro de 2014 as multas por ultrapassagens irregulares ficaram mais caras. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a alteração no Código de Trânsito Brasileiro teve o objetivo de reduzir o número de mortes nas estradas.

 

Com a mudança, a ultrapassagem em faixa contínua teve o valor alterado para R$ 957,70. O mesmo valor cobrado para motorista que fizer a ultrapassagem pelo acostamento ou pela contramão em curvas, túneis ou viadutos. Em todos os casos, se houver reincidência num período de 12 meses, o valor passará para R$ 1.915,40.

 

voltar
EditRegion4